11 3787-1960
Espanhol
Inglês
Brasil
laudos on-line

Córnea

O que é?

A córnea é a parte anterior transparente e protetora dos olhos. Ela tem a função de focar a luz através da pupila para a retina, como se fosse uma lente fixa.

Ceratocone

É uma alteração da curvatura da córnea, de origem desconhecida, provavelmente com herança genética.

Causas
Aparece na infância, aproximadamente aos 8 anos, tem caráter evolutivo mas, pode se estabilizar até os 40 anos de idade. A ceratocone pode se manifestar igualmente em homens e mulheres. Existem fatores que desencadeiam a evolução da doença em uma pessoa com predisposição. O fator principal é a alergia ocular devido a intensa coceira. Existem vários graus e tipos de ceratocone e cada um deve ser tratado de maneira diferente.

Tratamento
Nos pacientes com o estágio inicial da doença, basta o uso de óculos para obtermos boa acuidade visual;
Nos casos mais avançados, são recomendadas lentes de contato de diferentes materiais e desenhos, por exemplo: lentes rígidas, gás permeáveis, hidrofílicas (gelatinosas) específicas para ceratocone e lentes bicurvas;
Nos casos em que a adaptação torna-se impossível quer seja por dificuldade no manuseio ou intolerância às lentes, optamos pela colocação de anéis intra estromais (anel de Ferrara) ou transplante de córnea.

Anel de Ferrara
O Anel de Ferrara é uma prótese, que é implantada na córnea com objetivo de corrigir a deformidade da curvatura corneana, causada por doenças como ceratocone, degeneração marginal perlúcida e outras, visando estabelecer uma superfície corneana mais regular, resultando em melhora da visão com auxílio de óculos e/ ou lentes de contato. O anel também pode ser útil para retardar a progressão da doença.

Ele é feito de acrílico, material com baixo índice de rejeição.  O uso do Anel de Ferrara é contra indicado em pacientes com córneas muito comprometidas e com cicatrizes extensas, nestes casos o transplante é o tratamento mais indicado.

Transplante de Córnea

Quando a córnea sobre um embaçamento é preciso trocá-la por outra transparente, através de um transplante de córnea.

O transplante é indicado nos casos de:
Traumatismos Oculares – causados principalmente por acidentes de trabalho como: a queda de ciscos nos olhos, pequenas perfurações, queimaduras com agentes químicos etc. Para evitá-los é recomendável o uso de equipamentos e medidas de segurança.

Ceratocone - doença que ocorre em jovens e tem causa desconhecida. Pode ser associada com doenças sistêmicas como alergias de pele ou Síndrome de Down. Ela pode progredir por alguns anos e parar ou avançar e deformar a córnea. Nem sempre é possível corrigir o problema através de óculos e lentes, sendo necessário o transplante.

Complicações em cirurgias oculares -
acontecem com mais freqüência em pessoas idosas e levam a perda da transparência da córnea.

Outras causas - algumas córneas podem ser alteradas por doenças metabólicas ou por degenerações e distrofias, que têm origem desconhecida.

X-Link (Cross-Link)

O X-link é uma tecnologia nova usada para tratamento de determinadas doenças de córnea, principalmente indicada para tratamento e, pela primeira vez, prevenção dos avanços da doença. Ele entra para a gama de tratamentos do ceratocone porem possui um diferencial muito atrativo, pois parece ser capaz de prevenir o avanço da deformidade da córnea.

O que é o X-link? É um tratamento, idealmente realizado para pacientes com ceratocone em desenvolvimento, que se baseia na aplicação de luz ultravioleta na presença da riboflavina (vitamina B2). Procedimento pode ser realizado até mesmo no consultório. O médico promove uma raspagem superficial da córnea sob anestesia local, causando assim um meio de ultra absorção da vitamina que é instilada pelos auxiliares de dois em dois minutos na sala de espera (assim, o olho vai se tornando inundado pela vitamina). Após este período, o paciente é colocado sob luz ultravioleta do equipamento (luz azul) onde o processo de instilação da vitamina continua, mas, desta vez, sob a luz.

Essa exposição da riboflavina a luz ultravioleta leva a uma ativação da mesma que acaba reagindo com as fibras de colágeno da córnea, promovendo um endurecimento da mesma que acaba se tornando mais resistente às alterações estruturais induzidas pelo ceratocone. Ou seja, podemos entender que a córnea submetida ao X-link deve ser mais resistente e, portanto, em longo prazo, os danos estruturais muito menores.

Portanto, pela primeira vez estamos falando de uma técnica capaz de prevenir os danos provocados pelo ceratocone. Assim, idealmente o X-link foi descrito para tratamento de pacientes jovens, com ceratocone ainda leve ou moderado (uma vez que nesta fase as alterações no formato da córnea ainda devem ser mínimas), com boa acuidade visual (o que reforça o aspecto preventivo do tratamento). Acredita-se que seu efeito tenha duração em torno de dez anos sendo necessária nova aplicação após este período.

Porém, com o avanço nos estudos e resultados dos últimos trabalhos cada vez mais as indicações tem aumentado englobando inclusive outras patologias de córnea. Hoje, em determinados casos, o X-link pode ser usado para tratamento de ectasias pós cirurgia refrativa, para melhor cicatrização de pacientes submetidos a transplante de córnea e também para estabilização de quadros de pacientes submetidos antigamente a cirurgia refrativa com bisturi (ceratotomia radial).

Converse com seu oftalmologista e saiba mais a respeito de um tratamento indolor, que veio sem dúvida, ainda de uma forma experimental, revolucionar a abordagem das patologias de córnea.
Rua Maestro João Gomes de Araújo, 50 - Santana - São Paulo - SP
Desenvolvido por Olivi Publicidade